15 janeiro 2013

Oi = Oincompetência

Hoje fiz minha última tentativa de contato com a Oi para resolver a situação.

Primeiro liguei para a Empresário Cobrança pelo 0800 deles mas a atendente Sandra me jurou que não são eles que estão me enviando cobrança. Disse que consta no sistema de que a fatura foi zerada e que o débito foi zerado. Me mandou ligar para o 1057.

Liguei para o 1057, falei com a Maria que disse não ser com ela e me mandou entrar em contato com o setor de cobrança pelo 08002868331. Ao ligar para esse número ouço uma mensagem da Telemar dizendo que o serviço está inativo.

Liguei de novo para o 1057 e falei com a Sheila. Agora fui informada de que a cobrança é referente a um Oi Móvel Conta Light, são duas faturas de cerca de 100 reais cada uma e que não há nenhum registro de contestação desses débitos. Solicitei o número do protocolo ( n°201300008125521) e estou saindo para ir ao Procon.

13 janeiro 2013

Empresário Cobrança= é incompetência ou gosta de me sacanear mesmo???

Definitivamente a Empresário Cobrança não está nem um pouco interessada na qualidade do serviço que presta. Entrando no site o formulário para contato tem a opção de enviar "elogios" (quem vai enviar elogios para eles??), mas não tem a opção enviar "reclamações". Ainda assim o formulário tem um espaço super pequeno, com caracteres limitados para envio de mensagens. Ou seja, não é para escrever muito porque eles não estão muito a fim de perder o precioso tempo deles com a gente, meros mortais. Então, terei que colocar minha reclamação aqui. Se eles quiserem que leiam aqui (acho difícil, mas, de qualquer forma, ninguém poderá dizer que eu não tentei!).

Para a EMPRESÁRIO COBRANÇA:

"Já fiz aqui uma reclamação de um atendente super mal educado de vocês, mas agora que ele era apenas reflexo da empresa que trabalha. Pois já contestei a fatura cobrada, mas continuo recebendo cobrança de vocês. O engraçado é que vocês só enviam mensagem gravada por telefone nos finais de semana - dias que vocês não trabalham. Quando manda cobrança por telefone durante a semana é sempre a noite - em horários que vocês também não trabalham. Agora me contem qual é o  sentido de ficar mandando cobrança por telefone em dias e horários que vocês não atendem??? É para evitar que as pessoas retornem?? Vocês não gostam de ouvir reclamações?? Acho que vocês não gostam é de atender mesmo, já que na única vez que consegui falar com vocês fui extremamente mal tratada pelo atendente (lembram?)! Agora estou cansada de tantos meses correndo atrás da Oi e da Empresário tentando resolver essa situação toda! Já que a Empresário não tem interesse nenhum e a Oi então... informo que amanhã (dia 14/01) estarei no PROCON e deixarei bem claro que a minha reclamação será não só contra a Oi, mas também contra a Empresário que é quem fica me cobrando, não me atende quando retorno e quando me atende é para me tratar mal. E se preciso irei até a justiça por pertubação de sossego se isso continuar. Agora sim darei um ponto final nessa palhaçada toda!!! Meu saco de paciência já se estorou!!!!"



11 janeiro 2013

Itaú é condenado à indenização por desconto acima do limite de 30%

O Banco Itaú foi condenado nesta segunda-feira, 22, a limitar em 30% os descontos feitos na conta salário da cliente Sandra Miranda de Carvalho Patriarca. Pela decisão da juíza Rozana Fernandes Camapum, da 17ª Vara Cível de Goiânia, a instituição deverá devolver os valores resgatados acima do porcentual e indenizá-la em R$ 5 mil por danos morais, uma vez que o desconto acima do permitido prejudicou as condições mínimas de sobrevivência de Sandra.

Segundo a magistrada, a promoção de desconto acima do limite permitido de 30% por parte do Itaú, sob o argumento “frágil” de que não se tratava de conta-salário, corresponde à fraude por parte da instituição. Outro ponto destacado pela juíza diz respeito ao dispositivo previsto pelo Código de Processo Civil em seu artigo 649, inciso IV, em que é proibida a penhora de vencimentos ou salários.

Rozana Camapum sublinhou ainda que o banco realizou o desconto ciente da lei e tendo a possibilidade de solicitar à cliente o contracheque, contudo nada foi feito para evitar o transtorno. “A jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) é dominante no sentido de que o desconto da integralidade dos vencimentos do consumidor por parte da instituição financeira caracteriza ato ilícito de forma a ensejar a indenização por dano moral”, ressaltou a magistrada.


Fonte: Jornal Opção
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...